27 de mar de 2010

"DOIS AMORES"



Dois amores...
È assim... dois corpos... uma alma... uma vida...
Um destino e dois amores...
Encontraram-se... formando um só conjunto...
O conjunto do amor...
Seguiam felizes... tão cheios de planos... de ideáis... sonhos... em seu castelo...
A felicidade... a esperança e alegria... faziam parte... durante o dia o sol, aquecidos..
Seguiam vivendo em pleno gozo... sentimentos multiplicados... não havia divisão entre dois amores... um só coração...
Juntos... felizes... cheios de vida... em uma só alma... em todas as noites passavam seu tempo contando as folhinhas de uma petála de rosa...
Tirando uma a uma para ver quem mais tinha sentimentos...
Num dia, um deles resolveu pegar um atalho... para ver a cor de outra petála de rosa... e no caminho a petála se desmanchou... então a noite ao contar uma se perdeu... exauri-se...substituindo por uma artificial... mais aquela petála nunca mais foi a mesma...
Algo se quebrou... perdido no caminho... o tempo levou... a esperança se foi... folhas se perdendo... permanecendo apenas o botão...apenas a desconfiança... e um dia o amor se cansou da solidão... entre duas vidas...
Indo embora... caminhou sozinho...sem rumo...sem vida... esvaído... chorando...
Em lagrimas desceram juntos...a rua... feneceu em ultimo adeus...a vida e a alma...todas as noites... matizando-se apenas em trevas...
Sem amor... não há energia que ilumine o coração de uma alma apaixonada...
Então...
Traída.

Nenhum comentário:

Postar um comentário