27 de mai de 2012

Frase do dia

O êxito da vida não se mede pelo caminho que você conquistou, mas sim pelas dificuldades que superou no caminho.

24 de mai de 2012

Imposto de Renda pode beneficiar pessoas com deficiência

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou três projetos que criam novos benefícios para pessoas com deficiência, entre eles o que lhes assegura prioridade na restituição do Imposto de Renda, como já acontece com os idosos. Foi também aprovado, em turno suplementar, projeto que obriga fabricantes de aparelhos de rádio e televisão a oferecerem aparelhos com saídas de áudio mais compatível com as necessidades de deficientes auditivos.
O projeto (PLS 571/2011) que inclui as pessoas com deficiência entre os contribuintes com direito a prioridade na devolução do imposto pago a maior é de iniciativa do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Emenda do relator, senador Casildo Maldaner (PMDB-SC), estabelece que os interessados devam se cadastrar na Receita Federal para contar com o benefício.
O projeto ainda será examinado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS), seguindo depois para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde receberá decisão terminativa.
Qualificação
Outro projeto aprovado em 17 de maio assegura às pessoas com deficiência a reserva de 10% das vagas em programas e ações de qualificação profissional financiados com recursos do Programa de Amparo ao Trabalhador (FAT). A proposta (PLS 621/2011) é de autoria da senadora Lídice da Mata (PSB-BA).
Em relatório favorável, o senador Paulo Paim (PT-RS), que preside a CDH, apresentou emenda para estabelecer que a reserva seja aplicada apenas aos programas e ações com início 90 dias após a publicação da lei. Segundo ele, a medida evitará incertezas sobre a aplicabilidade da medida às ações em andamento. O projeto agora irá a CAS, para decisão terminativa.
Concursos
A CDH aprovou ainda projeto do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) determinando que a publicidade dos editais de convocação de concursos públicos, bem como de todas as fases do processo de seleção, contenha mecanismos que levem em conta as dificuldades específicas das pessoas com deficiência
O objetivo do autor do projeto (PLS 505/2011) é possibilitar às pessoas com deficiência o pleno conhecimento de todos os fatos relacionados aos concursos anunciados. Como relator, o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), que atuou como substituto de Aníbal Diniz (PT-SP) pediu a aprovação do texto. A matéria vai agora a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), para decisão terminativa.
Ajuste de volume
Quanto ao projeto que passou em turno suplementar, o objetivo é obrigar os fabricantes de aparelhos de rádio e televisão a oferecerem equipamentos com saída de áudio para fone de ouvido ou para equipamento auditivo externo, em um ou outro caso com ajuste de volume. A medida beneficiará pessoas com perda auditiva moderada e leve.
O projeto (PLC 78/2009), da Câmara dos Deputados, recebeu substitutivo do relator na CDH, senador Cyro Miranda (PSDB-GO). Pelo substitutivo, os vendedores de aparelhos de rádio e televisão deverão informar aos consumidores sobre a possibilidade de receber equipamento com a saída de áudio com controle independente de volume. Após a venda de equipamento com as características previstas, o fabricante terá prazo de 30 dias para entregar o produto ao comprador.
O projeto estabelece ainda que o consumidor deve receber junto com o equipamento informações sobre as características da saída de áudio com volume ajustável e cuidados em seu manuseio, de maneira a evitar o agravamento de perdas auditivas.
A matéria não irá imediatamente à sanção, apesar da decisão terminativa. Agora terá que voltar à Câmara, para que os deputados avaliem as alterações.
Fonte:Agência Senado

20 de mai de 2012

Exigências da vida moderna - Luís Fernando Veríssimo


Exigências da vida moderna (quem agüenta tudo isso??)

Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro.
E uma banana pelo potássio.
E também uma laranja pela vitamina C.

Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes..
Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água.
E uriná-los, o que consome o dobro do tempo.
Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão).

Cada dia uma Aspirina, previne infarto.
Uma taça de vinho tinto também.
Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso.
Um copo de cerveja, para... não lembro bem para o que, mas faz bem.
O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber
.
Todos os dias deve-se comer fibra.
Muita, muitíssima fibra.
Fibra suficiente para fazer um pulôver.
Você deve fazer entre quatro e seis refeições leves diariamente.
E nunca se esqueça de mastigar pelo menos cem vezes cada garfada.
Só para comer, serão cerca de cinco horas do dia.

E não se esqueça de escovar os dentes depois de comer.
Ou seja, você tem que escovar os dentes depois da maçã, da banana, da laranja, das seis refeições e enquanto tiver dentes, passar fio dental, massagear a gengiva, escovar a língua e bochechar com Plax.
Melhor, inclusive, ampliar o banheiro e aproveitar para colocar um equipamento de som, porque entre a água, a fibra e os dentes, você vai passar ali várias horas por dia.

Há que se dormir oito horas por noite e trabalhar outras oito por dia, mais as cinco comendo são vinte e uma.
Sobram três, desde que você não pegue trânsito.

As estatísticas comprovam que assistimos três horas de TV por dia.
Menos você, porque todos os dias você vai caminhar ao menos meia hora (por experiência própria, após quinze minutos dê meia volta e comece a voltar, ou a meia hora vira uma). 

 E você deve cuidar das amizades, porque são como uma planta: devem ser regadas diariamente, o que me faz pensar em quem vai cuidar delas quando eu estiver viajando.

Deve-se estar bem informado também, lendo dois ou três jornais por dia para comparar as informações.

Ah! E o sexo.
Todos os dias, tomando o cuidado de não se cair na rotina.
Há que ser criativo, inovador para renovar a sedução.
Isso leva tempo e nem estou falando de sexo tântrico.

Também precisa sobrar tempo para varrer, passar, lavar roupa, pratos e espero que você não tenha um bichinho de estimação..

Na minha conta são 29 horas por dia.

A única solução que me ocorre é fazer várias dessas coisas ao mesmo tempo!!!

Tomar banho frio com a boca aberta, assim você toma água e escova os dentes. Chame os amigos e seus pais.
Beba o vinho, coma a maçã

Agora tenho que ir.

É o meio do dia, e depois da cerveja, do vinho e da maçã, tenho que ir ao banheiro.

E já que vou, levo um jornal...

Tchau..... 

 Se sobrar um tempinho, me manda um e-mail.

Luís Fernando Veríssimo

PS. Não esqueça de orar, agradecendo por ter tempo para tudo isto.___



Alerta colocado na porta de um espaço clínico.

O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.

O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.

A diabetes invade quando a solidão dói.


O corpo engorda quando a insatisfação aperta.

A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.


A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.

O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.


As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.


Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.
O câncer mata quando não se perdoa e/ou cansa de viver.
E as dores caladas? Como falam em nosso corpo?

A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.

17 de mai de 2012

Convite à sensatez. Agora, na PREVI é Chapa 2 - PREVI FORTE.

Amigos(as) e colegas,
Tomo a liberdade de fazer-lhes um convite à sensatez.
  
Agora, na PREVI é Chapa 2 - PREVI FORTE.
São colegas comprometidos com a independência e defesa dos reais interesses dos participantes.
O ARNALDO VOLET, candidato à Diretor de Seguridade e todos os demais componentes da Chapa 2 estão preparados para dar uma resposta à altura do que precisamos na PREVI. Além do mais são totalmente independentes de qualquer grupo que atualmente domina nossa Caixa de Previdência. Por isso terão mais liberdade para atuarem em favor dos verdadeiros donos da PREVI, seus associados participantes.
Pensionistas também votam nas eleições da PREVI. Avise a todas que conhecer. 
Lembre seus amigos, peça para não deixarem de votar. O momento é muito importante para o futuro de nossas aposentadorias.
E atenção! Não votem na chapa 1, pois 6 de seus membros são do Conselho da ANABB e sempre votaram contra a instalação da Comissão de Ética para apurar as irregularidades denunciadas em 2011, naquela entidade, além de tumltuarem as últimas reuniões de seu Conselho Deliberativo.
Por quê querem conquistar espaço na Previ?
Queremos ÉTICA E TRANSPARÊNCIA, TAMBÉM NA PREVI!

Rumo à vitória - com a CHAPA 2 - PREVI FORTE! 
Abraços fraternos,

DOUGLAS SCORTEGAGNA
(Atual Vice-Presidente de Comunicação da ANABB)

16 de mai de 2012

CHAPA 2 – PREVI FORTE

CHAPA 2 – PREVI FORTE


DIRETOR DE SEGURIDADE
Arnaldo Vollet

CONSELHO DELIBERATIVO
Gilberto Santiago (Titular)
Hermínio Sobrinho (Suplente)
Isa Musa (Titular)
Odilon Gama (Suplente)

CONSELHO FISCAL
Vera Melo (Titular)
Clemiton Araújo (Suplente)

CONSELHO CONSULTIVO PLANO 1
Elaine Michel (Titular)
João Pólvora (Suplente)

CONSELHO CONSULTIVO PREVI FUTURO
Airton Junior (Titular)
Rosinéia Balbino (Suplente)

A CHAPA 2 – PREVI FORTE LUTARÁ PARA:
 PLANO PREVI FUTURO (ativos, aposentados e pensionistas)
  • Reduzir a Taxa de Administração do Plano PREVI FUTURO, hoje, em torno de 4%.
  • Utilizar a Reserva aportada pelo Patrocinador, de forma progressiva, em função do tempo de Banco, nos casos de desligamento.
  • Implementar Empréstimo Simples limitado apenas pela margem consignável.
  • Reduzir de 12 para 06 meses a carência para troca de perfil de investimento.
  • Criar Comitê Técnico para assessorar o participante na escolha do perfil de investimento.
  • Reduzir a contribuição para a CAPEC, mediante aumento da base de participantes (60 mil ainda não aderiram à CAPEC).
  • Tornar independente a eleição para o Conselho Fiscal.
  • Rediscutir a aposentadoria da mulher aos 45 anos (Projeto Mãe 45).
  • Garantir maior participação dos pós-97 na gestão da PREVI.
  • Aperfeiçoar o relacionamento da PREVI com os associados.
  • Melhorar o Atendimento 0800.
PLANO DE BENEFÍCIOS 1 (ativos, aposentados e pensionistas)
  • Implementar Empréstimo Simples limitado apenas pela margem consignável.
- por serem operações de risco “zero”, podem basear-se apenas na capacidade de pagamento dos tomadores, eliminado o estabelecimento de teto.
  • Criar novo empréstimo, lastreado em imóvel financiado pela CARIM, já quitado.
- aumentar as operações com participantes, com a criação de  modalidade de financiamento imobiliário garantido por imóvel CARIM já quitado.
  • Revisar benefícios com o objetivo de equilibrar o Plano.
- déficits e superávits evidenciam o desequilíbrio no Plano, o  que deve ser evitado, até por recomendação legal.
  • Estabelecer teto de aposentadoria adequado e justo no Regulamento do Plano.
- readequar o Regulamento do Plano, para evitar a concessão de vantagens injustas e impróprias a um fundo solidário. 
  • Aumentar o valor do Benefício Mínimo.
- aumentar o piso para o benefício mínimo.
  • Extinguir a Parcela Previ, com recálculo de benefícios e correção retroativa.
- A Parcela Previ funcionou como um redutor de benefícios, prejudicando milhares de colegas, particularmente no período 98-2005.
  • Incluir no BET os beneficiários da verba P-220.
- é certo que os beneficiários da verba P-220 contribuíram para a formação do  superávit, tendo, portanto, direito a ele.
  • Reduzir a contribuição para a CAPEC, mediante aumento da base de participantes (60 mil ainda não aderiram à CAPEC).
- a correção para a faixa acima de 70 anos se tornará insuportável para muitos, em pouco tempo.
  • Avaliar a parceria PREVI-CASSI, em benefício dos associados.
- investir em infraestrutura de saúde em benefício dos associados da CASSI, mantidas a segurança e a rentabilidade exigidas pelos regulamentos da PREVI.  Afinal, o público-alvo é o mesmo.
  • Tornar independente a eleição para o Conselho Fiscal.
- segregar as funções de administrar e de fiscalizar. Propor alteração no regulamento das eleições para permitir a escolha de conselho fiscal independente de chapa.
  • Rediscutir a aposentadoria da mulher aos 45 anos (Projeto Mãe 45).
- lutar pela aprovação do projeto, de modo a que esta seja mais uma opção ao alcance das mulheres que quiserem deixar o banco.
  • Aperfeiçoar o relacionamento da PREVI com os associados.
- modernizar os canais virtuais, privilegiando a interatividade e a divulgação de decisões de caráter coletivo, em tempo real, além de ampliar o espaço para debates e participação dos associados nos demais meios de comunicação.
  • Melhorar o Atendimento 0800.
diagnosticar, no público-alvo, motivos de insatisfação e utilizá-los para melhorar  os processos de Atendimento pelo 0800.
OUTRAS PREOCUPAÇÕES DA CHAPA 2 – PREVI FORTE
Pensionistas
- insistir na melhoria dos benefícios e participação adequada na destinação de superávit.
Comunicação
- instituir comunicação clara, objetiva e direta sobre os assuntos em evidência, de modo a evitar o surgimento de boatos e de supostas lideranças, que só prejudicam, sem qualquer proposta de construção.
Atendimento 0800 (relato de situação real)
- melhorar o atendimento pelo 0800 729 0505 da PREVI. Os atendentes não deixam o associado falar, expor suas dificuldades: interrompem, alegando que “nós temos a sua situação aqui na tela”, mas o esclarecimento não acontece. Ficam de retornar. A maioria dos retornos são precários e insuficientes, sem abordar, de forma clara e segura o problema apresentado. Passam a imagem de que sabem tudo e de que o conhecimento lhes pertence. As respostas por email são demoradas, acarretando perda de timing.
Sugestão de Solução: mudança de postura, comprometimento, treinamento e capacitação. Criar regras de como ouvir e priorizar a urgência nas respostas cujos assuntos requeiram este tratamento.


15 de mai de 2012

Manifesto de Fernando Amaral à chapa 2 Previ Forte

Prezados Amigos, Colegas e Companheiros do Banco do Brasil,

Estamos a 5 dias do início da votação para escolher o novo Diretor de Seguridade da PREVI. Neste momento o que está em disputa não é um simples nome de Diretor. O que está em disputa é o que queremos que uma pessoa, que seja escolhida por nós, defenda, proponha e faça em nosso nome.
De minha parte, pretendo votar em quem, em meu nome, tenha compreensão política para saber que os recursos de um fundo de pensão pertencem aos seus participantes e não aos seus patrocinadores.
Precisa ser alguém com compreensão política para saber que a lógica previdenciária é garantir ao trabalhador, aposentadoria com a manutenção do padrão de vida conquistado durante o seu período laboral. Alguém com capacidade técnica para saber que fundo de pensão não é empresa. Que empresa tem como objetivo o lucro a ser distribuído entre os sócios, e que fundo de pensão tem como objetivo o equilíbrio para pagar benefícios aos seus participantes e respectivos assistidos.
Precisa ser alguém que tenha capacidade para resistir às constantes investidas do Banco do Brasil para se utilizar dos recursos que pertencem aos funcionários. Alguém que tenha coragem e independência para gerir a Diretoria de Seguridade com a convicção de que é o compromisso com os participantes e assistidos que deve nortear as necessidades de investimentos, ao invés de aceitar que a política de investimentos é que defina a estrutura de benefícios que se pode garantir aos participantes.
Alguém com conhecimento para debater os investimentos nos seus detalhes técnicos, de forma a garantir que os recursos da PREVI garantam as aposentadorias dos participantes do Plano 1 e do Plano 2, e que não sejam usados unicamente para viabilizar investimentos governamentais.
Precisa ser alguém que esteja participando de uma chapa com pessoas que, além de preparo político e técnico, também tenham coerência entre discurso e práticas políticas.
Para mim estes requisitos são fundamentais porque, em 2002, fui eleito para o cargo de Diretor de Seguridade da PREVI, mas tive meu mandato cassado em 2004 pelo voto de representantes dos funcionários que ora participam ou apoiam as chapas 1 e 6 que, naquele momento optaram por ignorar o resultado eleitoral e fazer acordo por cargos.
Dessa forma, após as entrevistas e o debate da ANABB, firmei convicção e declaro meu voto no colega Arnaldo Vollet e na Chapa 2 – PREVI FORTE.
Arnaldo foi diretor do Banco onde atuou com independência técnica e mereceu de todos os seus colegas o respeito e a admiração. Seus companheiros da Chapa 2 são, igualmente, pessoas respeitadas profissionalmente e politicamente, com reconhecimento de suas lutas em favor dos funcionários do Banco do Brasil, em associações de aposentados, sindicatos e demais entidades representativas do funcionalismo.
Por isso voto e peço seu voto para Arnaldo Vollet e para a Chapa 2.
Precisamos de representantes capacitados, firmes e independentes, para garantirmos uma PREVI FORTE para todos.
Brasília (DF), 13 de maio de 2012
Fernando Amaral Baptista Filho

13 de mai de 2012

Metade - Oswaldo Montenegro

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio

Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso, mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.

Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro de ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

12 de mai de 2012

MÃE


Mãe
devo-te este poema
que sempre
seguirei querendo
escrever

esperei fazê-lo
em toda a minha vida

esperei o sol
e a lua

e ambos passaram
e voltaram
com palavras mudas
douradas e
pálidas

versos
trouxeram-me as estrelas
o mar
e os rios

versos que devolvi
aos livros
e ao tempo
que os prendia

mas o teu poema
estava sempre
aquém e além do tempo

e a voz para dizê-lo
não me pertencia

mas vi-o
em teu ventre

onde vi nascerem
as dimensões da vida

e as dimensões
de Deus

e se o amor triunfa
em caminhos infinitos

não pode haver começo
ou fim
para o teu poema

                    (Horácio Paiva)”

Para ele: Paixão duvidosa - Para ela: Amor que canta e encanta


AMOR QUE CANTA E ENCANTA

Enquanto ele canta e me encanta,

A melodia embala as lembranças de uma história sem fim...

História que começou há anos,  e que se arrasta...

Se arrasta e atravessa um rio.



Um rio chamado IVAÍ...

E um rio de lágrimas choradas,

Um rio de mágoas e passadas...

Mas que como as águas deste rio,

Se renovam e me faz esquecer...



Esquecer ou brincar de esquecer,

E o que prevalece é a doçura ...

E a ternura que nos une por anos...

Anos que passam rápidos para chegar a época das promessas.



Promessas de  envelhecermos  juntos,

De viajar o mundo...

Mundo inventado e criado por nossas imaginações,

Que você canta nas canções e eu transformo em contos e poesias.



Das lembranças que eu trago na vida...

Como diz a velha canção:

Você é a saudade que eu gosto de ter...



Sua versão diz ser uma paixão duvidosa,

E meu coração nunca teve dúvida de que é um grande amor...

Quando os seus olhos cruzam os meus,

Sinto seu desejo ardente me despindo e me fazendo delirar...



Quando você canta me inspira a pensar,

Quando penso que te esqueci ...

É aí que descubro o tamanho deste amor,

Um amor que canta e me encanta ...

 

CHAPA 2 - ENTREVISTA ANABB

Chapa 2 - PREVI FORTE

7 de mai de 2012

CHAPA 2 - COMPROMISSOS COM O PLANO PREVI FUTURO

PLANO PREVI FUTURO (ativos, aposentados e pensionistas)

Reduzir a Taxa de Administração do Plano PREVI FUTURO, hoje, em torno de 4%.
Utilizar a Reserva aportada pelo Patrocinador, de forma progressiva, em função do tempo de Banco, nos casos de desligamento.
Implementar Empréstimo Simples limitado apenas pela margem consignável.
Reduzir de 12 para 06 meses a carência para troca de perfil de investimento.
Criar Comitê Técnico para assessorar o participante na escolha do perfil de investimento.
Reduzir a contribuição para a CAPEC, mediante aumento da base de participantes (60 mil ainda não aderiram à CAPEC).
Tornar independente a eleição para o Conselho Fiscal.
Rediscutir a aposentadoria da mulher aos 45 anos (Projeto Mãe 45).
Garantir maior participação dos pós-97 na gestão da PREVI.
Aperfeiçoar o relacionamento da PREVI com os associados.
Melhorar o Atendimento 0800.

2 de mai de 2012

ELEIÇÕES DA PREVI - POR FERNANDO BRANQUINHO


Seis chapas concorrem às eleições para parte da direção da PREVI em 2012. Para decidir EM QUEM VOTAR, primeiro é saber NO QUE VOTAR. 
Há três grandes grupos de interesses entre os associados da PREVI : 
- o grupo do Plano 1 que está na ativa;
- o grupo do Plano 1 que está aposentado ou é pensionista;
- o grupo do Plano 2.

Entre todos é consensual o desejo de uma gestão honesta, profissional, que traga os melhores resultados que assegurem, hoje e no futuro, o pagamento do passivo atuarial que a PREVI tem com todos, se possível com melhora nos ganhos de todos. Isso é corroborado até certo ponto pelo que está escrito na plaquinha de missão da PREVI : "Administrar planos de benefícios, com gerenciamento eficaz dos recursos aportados, buscando melhores soluções para assegurar os benefícios previdenciários, de forma a contribuir para a qualidade de vida dos participantes e de seus dependentes, visando atender suas expectativas e das patrocinadoras." Na realidade o que temos é na última parte do texto a busca de atender as expectativas dos participantes APÓS atender às do patrocinador. 

A PREVI não é uma instituição democrática. Sequer é paritária na composição da sua direção. O patrocinador escolhe o presidente, o diretor de investimentos e o de participações, cargos que praticamente definem a estratégia de aplicação dos recursos do fundo de pensão. Os associados elegem os diretores de administração, de seguridade e planejamento, que apesar de serem cargos importantes não têm tanta importância nos negócios da PREVI quanto os designados pelo BB. Essa configuração é ainda mais desequilibrada quando se trata de um banco como patrocinador, com poderes totais sobre investimentos do fundo de pensão, que o tem como grande acionista e como grande investidor nos seus produtos bancários. 

Não bastasse esse desequilíbrio entre os cargos do patrocinador e os eleitos, ainda há o voto de Minerva para as principais decisões, o que assegura total poder ao BB sobre as principais decisões. Na prática, os participantes elegem figurantes que participarão de decisões que somente irão à execução se for do interesse do lado mais forte. O contrário não acontece. 

Aí vem a questão: se é para fazer figuração, por que damos tanta importância às eleições na PREVI? Qual o espaço de atuação que temos, apesar de entrar em campo jogando contra o dono da casa com jogadores a menos e com a trave deles menor que a nossa? Tirando as finalidades medíocres que infelizmente tornam seres humanos capazes de atos como assumir cargos apenas por vantagens remuneratórias e perspectivas de maiores benefícios ocupando cargos em empresas participadas, só resta a resistência à tirania do patrocinador como campo de ação. Isso sem qualquer ilusão de conquistarmos, em condições tão adversas, reivindicações como o fim do voto de Minerva, a distribuição entre os participantes da parte do superávit confiscada pelo patrocinador, etc. Podemos espernear, podemos conseguir pequenos avanços em coisas que o banco considere secundárias, mudar mesas de lugar, botar vasos de flores, enfim, há uma margem para coisas que podem significar pequeníssimos avanços, e nada mais. Por dentro da instituição é tudo o que um eleito pode conseguir. Nem pode falar demais, pois assina termo de confidencialidade das informações. 

Feita essa breve consideração, dá para sentir que muitas das promessas feitas por chapas estão nos programas apenas como declarações de intenções. Basta comparar o que foi prometido pelos vencedores dos últimos pleitos com o que efetivamente se realizou. Pior ainda: eleitos impuseram, junto com o banco, uma derrota histórica aos participantes, com a doação do superávit no fim de 2010, apoiado por um "referendo" sem qualquer requisito democrático, totalmente manipulado. E principalmente ilegal. 

Se não dá para realizar muita coisa, os eleitos têm que ser representantes confiáveis para o trabalho de fiscalização, e independentes do patrocinador para questionar e levar para discussão reivindicações do corpo de associados. Além disso, devem ter sintonia com os associados para levar adiante as mobilizações, sejam no campo jurídico ou na denúncia pública das ações lesivas. Trânsito no pessoal da ativa, tanto do Plano 1 como do Plano 2, conhecimento técnico básico para entender as questões de previdência e força nos aposentados, coragem, independência e principalmente autonomia em relação ao patrocinador são qualidades fundamentais para uma composição de chapa.

Dito isso, vamos à análise, primeiro das chapas da situação, que não merecem o voto do associado por haver contrariado os seus interesses e por fidelidade preferencial ao patrocinador:

Chapa 1 - PREVI - O FUTURO É AGORA - Composta de pessoas do grupo hegemônico da ANABB na gestão Valmir Camilo, concorrente da PREVI em plano de previdência e seguros, que já está na direção da nossa caixa de previdência em condomínio com a Articulação do PT. Esse grupo participou ativamente do processo de doação do superávit do Plano 1 ao banco. Não têm autonomia, fizeram e farão de novo o jogo do banco. Depois das recentes denúncias na ANABB, perderam muito espaço também na ativa. Vide resultado da CASSI, onde esse grupo ficou em 3° lugar. Não merecem o voto.

Chapa 6 - UNIDADE NA PREVI - É a chapa do banco. Do sindicalismo pelego da Contraf-CUT. E do governo também. Foi cúmplice dos patrocinadores da Chapa 1 no confisco do superávit. Autonomia zero. Tem candidato que ganhou cargo comissionado no BB mesmo cedido ao sindicato. Chapa rica, com o poder dos aparelhos sindicais usados para fins políticos da Articulação, corrente de direita do PT. Não merecem o voto, principalmente dos aposentados. 

Eliminadas essas duas, temos um conjunto de 4 chapas que se colocam no campo da oposição. Em cada uma delas há nomes conhecidos, confiáveis, que mereceriam os votos contrários à atual gestão. Nivelam-se em seriedade, capacidade técnica, autonomia e em compromisso com os associados. A rigor, deveriam ser uma só, com os nomes mais qualificados de cada uma, mas como isso não foi possível, passo à análise por um critério fundamental para a efetividade da nossa luta, que é a capacidade de articular a mobilização em todos os segmentos, ou seja, o "mix" que tenha a representatividade em todos os setores dos associados.

Com todo o respeito aos companheiros das chapas 3 - Unidos por uma PREVI mais forte e segura, e 5 - Semente da União, o critério representatividade não é o ponto forte. Pouco conheço da Chapa 3 e dos seus nomes em lutas da PREVI, e da Chapa 5 conheço muitos dos seus companheiros, que estão na luta há tempo, mas é forte a concentração no campo dos aposentados, com pouco alcance na ativa - Planos 1 e 2. Isso foi demonstrado na recente eleição da CASSI. Essa falta de presença na ativa e no movimento sindical de oposição é uma deficiência que compromete as chances de, mesmo na hipótese de vitória, articular as mobilizações que se farão necessárias para pressionar a PREVI, o governo, etc.

Seguindo a linha de raciocínio, restam as chapas 2 - PREVI Forte, e a chapa 4 - OPOSIÇÃO : NOVA PREVI. Os grupos e pessoas que se unem em torno dessas duas chapas até as eleições passadas, e mesmo na atual da CASSI, participaram em conjunto, constituindo-se na principal oposição ao "condomínio" formado pelo grupo oriundo da ANABB / Articulação do PT. Em torno delas estão as principais lideranças de oposição que representam todos os segmentos. Votaria em qualquer uma delas, não fosse por um importante diferencial: a chapa 2 - PREVI Forte, tem o melhor "mix", trazendo nomes com referência em aposentados (AAFBB, FAAB ) como de sindicatos de oposição. A chapa 4 - OPOSIÇÂO : Nova PREVI reúne uma boa militância da ativa, que participa de oposições em diversos sindicatos e em alguns sindicatos oposicionistas, mas não tem a penetração em aposentados que a Chapa 2 tem. 

Em resumo: Voto na capacidade de trazer para o conjunto dos associados as questões de seu interesse e na capacidade de mobilizá-los em todos os seus segmentos. Apoio a Chapa 2 : PREVI Forte - entendendo ter a composição capaz de obter a melhor votação e, se eleita, ter maior aderência a esse perfil que tracei. 

Fernando Branquinho
Rio, 1° de maio de 2012

1 de mai de 2012

A CHAPA 2 - PREVI FORTE LUTARÁ PARA:




 PLANO PREVI FUTURO (ativos, aposentados e pensionistas)
  • Reduzir a Taxa de Administração do Plano PREVI FUTURO, hoje, em torno de 4%.
  • Utilizar a Reserva aportada pelo Patrocinador, de forma progressiva, em função do tempo de Banco, nos casos de desligamento.
  • Implementar Empréstimo Simples limitado apenas pela margem consignável.
  • Reduzir de 12 para 06 meses a carência para troca de perfil de investimento.
  • Criar Comitê Técnico para assessorar o participante na escolha do perfil de investimento.
  • Reduzir a contribuição para a CAPEC, mediante aumento da base de participantes (60 mil ainda não aderiram à CAPEC).
  • Tornar independente a eleição para o Conselho Fiscal.
  • Rediscutir a aposentadoria da mulher aos 45 anos (Projeto Mãe 45).
  • Garantir maior participação dos pós-97 na gestão da PREVI.
  • Aperfeiçoar o relacionamento da PREVI com os associados.
  • Melhorar o Atendimento 0800.
PLANO DE BENEFÍCIOS 1 (ativos, aposentados e pensionistas)
  • Implementar Empréstimo Simples limitado apenas pela margem consignável.
- por serem operações de risco “zero”, podem basear-se apenas na capacidade de pagamento dos tomadores, eliminado o estabelecimento de teto.
  • Criar novo empréstimo, lastreado em imóvel financiado pela CARIM, já quitado.
- aumentar as operações com participantes, com a criação de  modalidade de financiamento imobiliário garantido por imóvel CARIM já quitado.
  • Revisar benefícios com o objetivo de equilibrar o Plano.
déficits e superávits evidenciam o desequilíbrio no Plano, o  que deve ser evitado, até por recomendação legal.
  • Estabelecer teto de aposentadoria adequado e justo no Regulamento do Plano.
readequar o Regulamento do Plano, para evitar a concessão de vantagens injustas e impróprias a um fundo solidário. 
  • Aumentar o valor do Benefício Mínimo.
aumentar o piso para o benefício mínimo.
  • Extinguir a Parcela Previ, com recálculo de benefícios e correção retroativa.
- A Parcela Previ funcionou como um redutor de benefícios, prejudicando milhares de colegas, particularmente no período 98-2005.
  • Incluir no BET os beneficiários da verba P-220.
- é certo que os beneficiários da verba P-220 contribuíram para a formação do  superávit, tendo, portanto, direito a ele.
  • Reduzir a contribuição para a CAPEC, mediante aumento da base de participantes (60 mil ainda não aderiram à CAPEC).
a correção para a faixa acima de 70 anos se tornará insuportável para muitos, em pouco tempo.
  • Avaliar a parceria PREVI-CASSI, em benefício dos associados.
investir em infraestrutura de saúde em benefício dos associados da CASSI, mantidas a segurança e a rentabilidade exigidas pelos regulamentos da PREVI.  Afinal, o público-alvo é o mesmo.
  • Tornar independente a eleição para o Conselho Fiscal.
segregar as funções de administrar e de fiscalizar. Propor alteração no regulamento das eleições para permitir a escolha de conselho fiscal independente de chapa.
  • Rediscutir a aposentadoria da mulher aos 45 anos (Projeto Mãe 45).
lutar pela aprovação do projeto, de modo a que esta seja mais uma opção ao alcance das mulheres que quiserem deixar o banco.
  • Aperfeiçoar o relacionamento da PREVI com os associados.
modernizar os canais virtuais, privilegiando a interatividade e a divulgação de decisões de caráter coletivo, em tempo real, além de ampliar o espaço para debates e participação dos associados nos demais meios de comunicação.
  • Melhorar o Atendimento 0800.
-  diagnosticar, no público-alvo, motivos de insatisfação e utilizá-los para melhorar  os processos de Atendimento pelo 0800.


OUTRAS PREOCUPAÇÕES DA CHAPA 2 – PREVI FORTE

Pensionistas
insistir na melhoria dos benefícios e participação adequada na destinação de superávit.

Comunicação
instituir comunicação clara, objetiva e direta sobre os assuntos em evidência, de modo a evitar o surgimento de boatos e de supostas lideranças, que só prejudicam, sem qualquer proposta de construção.

Atendimento 0800 (relato de situação real)
melhorar o atendimento pelo 0800 729 0505 da PREVI. Os atendentes não deixam o associado falar, expor suas dificuldades: interrompem, alegando que “nós temos a sua situação aqui na tela”, mas o esclarecimento não acontece. Ficam de retornar. A maioria dos retornos são precários e insuficientes, sem abordar, de forma clara e segura o problema apresentado. Passam a imagem de que sabem tudo e de que o conhecimento lhes pertence. As respostas por email são demoradas, acarretando perda de timing.
Sugestão de Solução: mudança de postura, comprometimento, treinamento e capacitação. Criar regras de como ouvir e priorizar a urgência nas respostas cujos assuntos requeiram este tratamento.